Friday, March 30, 2007

O Português "mais grande" de sempre

No passado fim de semana terminou o "concurso" que pretendia eleger o maior português de sempre. Ainda tive esperanças que o António Aniceto de Vila Nova de Poiares, do alto dos seus 2 metros e 39 centimetros, pudesse conquistar este título mas afinal o "caneco" foi para o homem de Santa Comba Dão, António Oliveira Salazar.

Com um critério dúbio (votação por sms) e um lote de finalistas diversificado, com figuras históricas, politicas e culturais, chegou ao fim um foclore que possibilitou constatar algumas factos interessantes.

Primeiro, ao ganhar um ditador, pode-se concluir que os portugueses gostam de ser mandados à força. Especialmente porque em 2º lugar ficou um homem que quis impor uma ditadura de esquerda e o Marquês de Pombal, um ditador nos tempos dele, estava no top 10.

Segundo, o que dizer de uma votação que coloca Pinto da Costa como o 17º maior português de sempre. Um hino à corrupção? E o José Mourinho como 20º maior português? Como é possível nomes como Zita Seabra, Belmiro de Azevedo, Alberto João Jardim, Maria João Pires entre outros figurarem nesta lista. Um tipo dos Morangos com Açucar em 79º e o Ricardo Araujo Pereira à frente do Bocage, entre muitas outras aberrações. Se este concurso é uma imagem do povo português, só me apetece chorar.

Ao ver a lista final, e pensando nos 10 em quem votei, fico triste por Salgueiro Maia ter falhado o top ten por pouco, reparei que pouca gente sabe quem foi Pedro Nunes, que a obra do Padre António Vieira não é conhecida, que o Fernão de Magalhães fez bem em defender a bandeira de Espanha e que o Afonso Henriques não devia ter batido na mãe.

Para mim Portugal é Portugal por meia duzia de pessoas: D. Afonso Henriques porque conquistou a nacionalidade; D. João I e D. Nuno Alvares Pereira porque impediram a "anexação" espanhola; o Infante D. Henrique porque pôs Portugal no mundo; D. João IV porque correu com os nuestros hermanos e Salgueiro Maia porque liderou, pacificamente mas com coragem exemplar, uma revolução que o povo queria mas não tinha coragem de a fazer.

Será que num futuro próximo vamos ter a votação do pior português de sempre? Candidatos há muitos...

3 comments:

Dias... said...

O conceito do concurso é interessante mas podes googlar e descobrir que os resultados foram absurdos all over the world por isso já estou mais descansado.

So liguei ao concurso na finalissima, porque estava a dar a horas que se aproximam das minhas, mas nunca esperei muito aqui do povão. Somos demasiado ignorantes para nos ser concedido o poder do voto, aliás, todos os sufragios deviam ser esquecidos em Pt porque os transforma-mos a todos (do presidente da Mercearia do Bairro ao Referendo ao Aborto) em pequenos circus latinos.

Mobilizamo-nos de tremoço em tremoço... quem me dera que o Afonso NUNCA tivesse dado aquele pontapé no rabo da mama!

Mestre said...

Somos o país das causas perdidas, já que nunca achámos uma causa pela qual valha a pena investir

Sem Naufragar said...

Também me tenho perguntado porque é que existe este tipo de concurso se é sabido que as massas fazem mover campanhas de envio de sms e se a hipocrisia no nosso país continua a ser tão grande?!
Mas são questões que, com toda a certeza, dão que pensar a muita gente e fico mais dencansada por encontrar pensadores com ideias semelhantes aos meus. Deixa-me mais descansada.
Como escreveu Paulo Coelho: "Os apóstulos eram 12 e hoje o mundo é Cristão".
Já agora. Amigo, tu tens escrito peças de muito boa qualidade. Não esperava outra coisa de ti.