Saturday, April 28, 2007

Um local especial

No passado fim de semana andei a passear por terras do Sul, naquela zona misto de árabe e lusitana, conquistada definitivamente por Afonso III, que passou a ser o rei de Portugal e do Algarve. Almoçei em Lagos, num restaurante pacato e familiar à beira da marginal, onde o arroz de polvo é uma delícia, e decidi passar pela ponta da Piedade, com o sentido aguçado por um sinal de miradouro que vi num mapa da cidade.

Na chegada sou saudado por um azul forte do mar e por uma costa recortada por movimentos antigos do mar. Uma escadaria descia para as profundidades das rochas, quase ao nível da água, e decidi avançar para descobrir o que se escondia para lá da vista do arriba.

Fui brindado com uma pequena lagoa de agua cristalina, num tom que faz lembrar as praias tropicais do Indico, semeada de pequenos barcos que nos podem levar a um passeio por entre grutas, arcos e ilhotas. Aceitei o desafio feito por um deles e parti numa jornada de cerca de meia hora, onde me deslumbrei com as formas das rochas, a passarada em redor, o som do mar a embater na costa e as explicações prontas do nosso guia.

Se tiverem oportunidade passem por lá, é um dos poucos locais onde o Algarve ainda parece o Algarve.

6 comments:

Pratas said...

Que saudades do Algarve.. As memórias que ele me traz..

Dias... said...

Algarve...

Dias... said...

Mestre, sabias que nasci em Lx mas fui para Vila Real de Santo Antonio com 3 dias e de lá so voltei uns aninhos mais tarde?
Às vezes digo às pessoas que sou algarvio...
Por lá vivi aquele tempo de pobreza extrema em que tinhamos de comer o que a terra nos dava, no nosso caso só nos dava Peixe e Marisco por isso aprendi a andar com um pé enterrado na areia a fazer carreiras para a apanha da conquilha (cadelinhas em Lx), e a trazer grandes sacos de Camarão para o jantar. Nunca gostei de peixe... :)
A minha vida antes do 25 de abril não era assim tão má... (sorriso enigmatico)

Mestre said...

Outros tempos Dias...

O Algarve sempre me fascinou, tenho familia em Faro e desde 1977 que fui frequentador assíduo. Pena aquela massa de betão entre Faro e Lagos, e mesmo esta cidade está a crescer a olhos vistos.

Mas agua quentinha como a Culatra ou a ilha de Tavira é algo que nunca se esquece. Isso e o marisco algarvio.

rui said...

E os doces... Só de pensar neles dá-me água na boca. :)

Mestre said...

Benvindo amigo Rui.

Os doces são outra conversa, mas o elevado teor calórico leva-me a que os troque pela conquilha e a sapateira nas marisqueiras de Olhão.