Tuesday, April 3, 2007

Uma sonoridade diferente

Há quem o deteste e quem o adora, mas é impossível não ter uma opinião a respeito de Manuel João Vieira e dos EnaPá 2000. A loucura das suas letras, complementadas com o virtuosismo dos musicos, satirizam a nossa sociedade e muito do que acontece neste país à beira mar plantado. Pelo meio temos as variantes Irmãos Catita, O Candidato Vieira, os concertos no Maxime e na Voz do Operário.
Para os momentos mais tristes da vida, em que apetece sorrir, aconselho 10 min de Ena Pá e um Bushmills sem gelo. Como não posso deixar um link da musica, visitem http://www.vieira2006.com/ e vejam a musica, fica uma letra que todos já cantarolaram algures numa semana académica.

"Eu sou um pobre desalmado, Sou um homem muito triste.
E dá-me a impressão, que pior do que eu não existe.
Sou um tipo abandonado, Tenho um carácter apagado.
E no meu coração, Uma dúvida subsiste"

"Marilu, diz-me se és mesmo tu....

2 comments:

Dias... said...

Olha mais uns companheiros de sempre e para sempre :)

Gosto muito do MJV artista mas francamente não acho piada ao MJV colega de mesa na noite.

Foram a referencia do nonsense rock e abriram portas para um novo genero de dialogo cantado ao qual nem as bandas Pt mais alternativas se atreviam nos 80´s.
Importante referires a qualidade dos musicos porque é de facto soberba tanto no leque de ritmos abordados como na forma segurissima como os abordam.

Fazem parte...

Mestre said...

Isto dos companheiros de sempre começa a ser um padrão geracional ;)

Obrigado pelas tuas visitas.