Sunday, July 1, 2007

Cyrano de Bergerac

Nunca gostei de cinema françês mas é curioso que alguns filmes da minha vida tenham presença desta lingua, quer na realização ou no elenco. Quando vi "Cyrano de Bergerac" pela primeira vez, tinha eu 18 anos, a personagem interpretada por Gerard Depardieu deixou marcas. Cyrano era corajoso, altruísta, eloquente, mas pouco confiante nos jogos da sedução e com uma auto-estima nula fruto de um nariz mais "avantajado", que o tornava "disforme" aos olhos da mulheres.

O filme relata a um amor impossível de Cyrano por uma prima, que se apaixona por um jovem cadete. Cyrano vê no cadete o homem que ele não pode ser, entrando num jogo de cartas de amor que alimentam a paixão de Roxanne. Num mixto de heroi poeta, a cena inicial do duelo em rima é fantástica e a emoção das palavras é exemplarmente representada por Depardieu.

O final não é feliz e marcou muito a maneira como passei a ver os sentimentos e as relações. Não há nada a perder quando falamos de sentimentos, não devemos guardar nada e pensar que podia ter acontecido. Para quem tiver oportunidade, apesar de não ser facil de arranjar em aluguer.






2 comments:

Sem Naufragar said...

Adoro cinema francês e muito do que se faz na Europa. Sou suspeita.
Adorei o que escreveste. Está muito sentido!
És grande!

Dias... said...

Curioso Sr Mestre, identifo-me com cada linha.
Começamos a descobrir pontos comuns fora da Tinta.
Abraço