Wednesday, January 30, 2008

Fritz, the Cat

Foi um filme de BD dos anos 80, que retratava a vida de um gato urbano, num mixto de vadiagem e bom vivant. Foi também o nome que escolhi para o pequeno siamês que ofereceram à minha mãe na primavera de 1990 e que mudou para sempre as nossas vidas.

Hoje fiquei mais pobre. O fiel companheiro de 18 anos, os últimos vividos de forma diferente desde que saí de casa dos meus pais, terminou a sua passagem pelo mundo dos homens. A alegria de um animal de estimação esvai-se pela forma como ele parte. Por mais que nos mentalizemos que a esperança média de vida da nossa companhia é inferior à nossa, nunca estamos preparados para o dia em que ficamos sem ele.

Longas momentos de companheirismo, fidelidade e amizade passaram-me durante o dia pela memória. As horas de estudo com ele ao lado, os passeios à noite, pela trela, as brincadeiras de felino ou o ronronar com que nos brindava quando pedia colo deixaram um vazio naquela casa que, assim, ficou mais triste.

Era o "filho mais novo", aquele que nunca se iria ausentar, a companhia diária dos meus pais que muito choraram hoje. Fritz, the cat, um gato muito especial.

3 comments:

Paulo said...

Sinto muito...
Arranjas outro?

rui said...

Triste noticia, é nestas alturas que nos lembramos como estes nossos fieis amigos tem uma vida tão curta. Como dono de um gato compreendo bem a tua perda.

Abraço

Mestre said...

paulo, nesta fase é cedo mas vou tentar.

rui, é a lei da vida, custa mas é mesmo assim.

Obrigado.