Sunday, March 9, 2008

O Homem do leme

Não, não escrever sobre Xutos e Pontapés nem sobre o nosso presidente. Apenas sinto a necessidade de escrever umas linhas sobre o recém-despedimento de José António Camacho.

Desde o primeiro dia que fui contra a sua vinda. Estive contra o despedimento de Fernando Santos e da vergonhosa pré-época a que esteve sujeito, com a novela fica-não fica de Simão Sabrosa, Manuel Fernandes, Micolli e Karagounis. No entanto, tudo valeu para Luis Filipe Vieira ficar na mó de cima e apresentar um nome com que a maioria dos benfiquistas delirava, ao estilo de um Brad Pitt para as mulheres ou uma Angelina Jolie para os machos.

Chegou então o Sr. Camacho, após três anos de inactividade depois da breve passagem pelo Real Madrid que durou algumas semanas. Admirei o Camacho como jogador: as caneleiras em baixo, a forma como varria todo o flanco esquerdo, as grandes exibições do Real de Gallego, Michel e Butragueño deixaram recordações de bom futebol. No entanto, a primeira passagem por Portugal mostrou um Camacho com graves lacunas tácticas, que conseguiu colmatar vencendo o Porto numa final da Taça sofrida. Mas o bater da porta nesse fim de temporada para ir treinar o Real Madrid deixou-me o Camacho atravessado. Ia treinar o amor da vida dele - se é espanhol é natural que esse amor não fosse o Benfica - logo seríamos sempre o segundo amor. Aquele a quem ligamos quando temos vontade de dar uma e não temos companhia.

Mas porque é que os benfiquistas gostam tanto de Camacho? Uns diziam que ele saltava muito no banco durante os jogos. Ainda temi que Luis Filipe Vieira contrate o macaco Adriano, que era pródigo em saltos. Outros que era motivador e puxava pelos jogadores. Quando vejo o estado em que estão Di Maria e Adu, jovens com um enorme potencial que tardam em aparecer, vejo que essa componente didáctica de Camacho também está aquém da fama. Se somar a isto a falta de flexibilidade em assumir um modelo de jogo diferente do que gosta (e conhece), em função dos jogadores que tem, tornou Camacho no pior treinador do Benfica desde Camacho. Trappatoni foi campeão, Koeman conseguiu uma ida aos quartos de final da Champions e um 3º lugar e Fernando Santos uma ida aos quartos de final da taça Uefa e um 3º lugar a uns miseros dois pontos do campeão.

Esta época o campeonato já foi, a Taça da Liga idem, a taça Uefa para lá caminha, resta-nos a Taça de Portugal e a defesa do 2º lugar para termos um acesso directo à Champions. Vou aguardar pelo sucessor, já que nesta fase a equipa fica ao cuidado de Chalana, com uma crença que é desta que o leme é entregue ao Álvaro Magalhães ou ao Carlos Mozer. Resta esperar...

3 comments:

Paulo said...

Estou genericamente de acordo com a tua opinião. Mas vinco ainda mais a questão da Direcção do Sr. LFV, essa sim a verdadeira e a grande culpada pelo estado a que chegou a equipa sénior do Benfica.

Agora há que entregar a equipa a Chalana e esperar por novas eleições...

Fenrisar said...

See Here

Dias said...

Sou doente, por isso normalmente so opino quando o GLORIOSO está no seu lugar natural, mas por ser este um canto recatado vou deixar-me ir...

Não gosto do Fernando Santos, mas não me lembro desde o Eusebio de ver um SLB com tantos avançados e meio campos ofensivos simultaneamente em campo, a ele os meus parabens por isso, mas não pela sua inteligencia futebolistica.

Do Camacho que nunca quiz, pensei que teriamos o tal trabalho especifico dos livres e cantos e que com isso conseguissimos uma proeza à TrapalHonni, mas nada, rien, fucking nothing!

Este grupo de jogadores é fraquito, mas também não é assim tão fraco.

Se a culpa vem do Rei dos Pneus? Não sei, mas sei que o BENFICA não o é desde que despediram o Toni, independentemente de 12 anos depois termos sido campeoes a-la italiana.

Abraços LAMPIOES