Tuesday, June 24, 2008

Memórias

Adivinha-se um verão quente, ao estilo daquele que consumiu Portugal em 2003, no que foi um dos piores verões da minha vida. Há cerca de 5 anos os cabelos caiam, fruto do cocktail explosivo que tinha recebido, como um sinal de fim de um ciclo. A calvíce e a palidez mostravam aos outros a luta que o organismo fazia ao digerir aquele medicamento, num sentimento mixto de cura e sofrimento de algo que mata não só a doença mas toda a vida que se desenvolve no corpo.

Os dias passaram longos, as jornadas penosas arrastavam-se de três em três semanas, numa rotina maquivélica dum junkie que detestava o que lhe entrava nas veias mas que sabia que tinha que fazer a via sacra até ao fim. Os olhos, esses nunca deixaram que brilhar e o espírito de luta permitiu viver esses meses como uma fase dura, mas que seria ultrapassada. Os vómitos e os enjôos eram uma constante, como o eram a agonia dos pais ao sofrerem na 3ª pessoa uma situação onde nada podiam fazer.

No final, o corpo humano mostrou que o tempo cura tudo menos a alma mas essa renasceu como a fénix, como as folhas da árvore crescem depois de um inverno onde o tronco fica nú e vulnerável. Já passaram cinco anos mas parece que foi há cinco meses. A memória dos que caminharam ao meu lado, tornando a jornada mais fácil, nunca será esquecido. Os amigos, colegas de trabalho, chefes e companheiros do Desterro, tantos que me tentaram animar e dar força numa fase menos positiva mas que hoje a vejo como a jornada que mudou a minha vida.

4 comments:

João Grácio said...

E viva o Google!

Hoje dei comigo a pensar no que te teria acontecido, se ainda andavas por estas terras ou se o sonho irlandês se tinha concretizado, e também, tenho que admitir, com algum receio de uma recaida que pudesses ter tido.

Com o pensamento do nem é tarde nem é cedo, é mesmo agora, lá coloquei o teu nome no Google.

Deu logo para perceber que tinhas continuado com o Paintball. :D

Mais algumas pesquisas e lá ficou provado que este blog é mesmo teu (a fotografia ajudou :).

Agora seria a parte das perguntas do costume, o que fazes, essa vidinha, como vai, e o trabalho e etc e tal, mas tendo em conta que isto é o teu blog, diminui bastante a necessidade das perguntas da praxe. :)

Temos que combinar qualquer coisa um destes dias.

Anonymous said...

E muita falta cá fazes, portanto o "senhor" que espere mais umas valentes décadas!

Cloud

Mestre said...

João, tentei ligar-te há tempos mas pelos vistos o nº jão não deve ser o mesmo. Tenho falado com o Rui Ferreira a tentar saber de notícias do pessoal, afinal as jornadas desde 1999 tiveram um grupo que as tornou inesquecíveis.

lmestrinho@gmail.com
Manda um mail com o teu contacto, temos que combinar um café ou uma jantarada, há tanta conversa para pôr em dia. Grande Abraço

Cloud,
Sabes, acho que não tem a ver com o "senhor", muito passa pela forma como encaramos a coisa e lidamos com o problema. O único senhor a quem agradeço muito foi ao médico que entre a consulta e a cirurgia para resolver o problema apenas demorou 10 dias e que no "verão quente" de 2003 foi um pilar de calma e tranquilidade.

Pratas said...

Que nunca passe de uma memória... Muita sorte para ti amigo, bem mereces todas as alegrias que a vida possa trazer.

Abraço