Tuesday, October 21, 2008

La Piovra - parte x

20 anos depois aparece uma ameaça de morte como consequência da publicação de um livro. Depois de Salman Rushdie, autor dos “Versículos Satânicos”, ter sido perseguido pelo mundo árabe e alvo de uma fatwa de Ayatollah Khomeini, desta vez é um jovem repórter italiano que ousou desafiar a máfia napolitana.

Ao publicar “Gamorra”, Roberto Saviano teve a coragem de apontar os nomes dos líderes da Camorra e vive hoje na clandistinidade, protegido pela polícia, tentando adiar uma morte anunciada por uma organização que foi responsável pelo assassinato dos juízes Borsellino e Falcone (ainda me lembro das imagens do atentado, a cratera na auto estrada provocada pelos explosivos colocados num local onde regularmente passava com a sua escolta).

Umberto Eco pediu que o estado italiano salve este jovem de 28 anos, agindo sobre os mentores da organização – perfeitamente identificados – e por todo o país as vozes de apoio a Saviano cresceram, num manifesto que já passou as 110.000 assinaturas e que podem subscrever aqui:

http://www.repubblica.it/speciale/2008/appelli/saviano2/index.html

Num mundo onde o silêncio pactua com a ilegalidade, seja ela mafiosa ou financeira, é urgente salvar as vozes que, com coragem, não se calam.

1 comment:

Rock Santeiro said...

Apoiado. Vi o filme há três dias. Gomorra é um "soco no estômago". Um filme que não romanceia a Mafia e, por isso, tem credibilidade. Alguns dos actores foram detidos à dias - foram usados locais como actores -, mas o acordo conseguido pela Produção do filme permitiu ao realizador contar a história e não ser ameaçado como o autor da mesma. Há coisas estranhas, não há?
Abraço