Agonia benfiquista

A pré-época começou com um novo director desportivo, que definiu um treinador. Como consequência compraram-se 10 jogadores e começaram-se a observar outros, para decidir quem ficava e quem saía do plantel. Em vez de procurarmos jogadores jovens e ambiciosos, a formula deste ano foram ex-glorias ou jogadores na curva descendente da carreira, que podia ter no Benfica a "rampa de lançamento" para um futuro mais risonho.

Emprestámos Sepsi, André Carvalhas, Romeu Ribeiro, Coentrão e Adu, livrámo-nos do Edcarlos (que muitas oportunidade teve, muitas mais que Zoro, que nunca compreendi o real valor dele) e tinhamos um plantel com mais soluções que o ano passado, dois jogadores para cada posição.

Depois veio a dispensa de Petit, a troco de um contrato "milionário", ficando o miolo entregue a Katsouranis (rende mais a interior que a trinco), Binya e Filipe Bastos (muita juventude mas pouca experiência). Na altura parecia lógico mas actualmente falta "alma" a este Benfica, falta sangue português, falta humildade e garra, falta vontade de ganhar e falta vergonha nas derrotas. Cada jogo que vejo mostra isso, e o nosso pitbull foi muitas vezes o grito de revolta dentro de campo.

Começa a época e descobrimos que Leo não sabe defender. Suazo recupera da lesão e o melhor marcador da época passada deixa de ser opção. Aimar consegue ter condição fisica e é titular indescutível, normalmente no lugar de um avançado (geralmente Nuno Gomes). Juntamos a isso um sistema de jogo que foi desenhado para extremos rápidos com qualidade que o Benfica teima em não ter (balboa dispensa comentários e a mente de Di Maria vagueia pela europa do futebol), retiramos os lances individuais de Reyes, Suazo e Aimar, e temos o pior futebol praticado na ultima década. Nem o Benfica de Souness se exibia de forma tão mediocre e até a equipa do inglês tinha mais portugueses que esta.

Em Dezembro tornámo-nos o clube das duas foices. "Foi-se" a Uefa e "foi-se" a Taça de Portugal, às mãos de um poderoso Leixões, ficou o campeonato à sombra de um primeiro lugar que garantia o "titulo" de campeão de inverno. Ano novo Benfica velho. Na 1ª jornada de 2009, frente ao poderoso Trofense, o ultimo da tabela que tinha menos vitórias que os dedos de uma mão, uma derrota por 2 secos, sem apelo nem agravo. A moral arrasta-se, os adeptos enervam-se, o treinador pede desculpas nas conferências de imprensa, o Director Desportivo dá a cara a defender o indefensável e surge a pergunta, o que correu mal e que soluções?R

eunir um treinador ambicioso e um conjunto de jogadores com pouco "nome" e muita vontade, daqueles que "comem a relva" e dão o litro, que lutam do 1º ao ultimo minuto. Temos que ter um sistema de jogo do Benfica, não o do Quique, o do Fernando Santos, o do Camacho ou o do Trappatoni. Temos que ter rigor nas contratações, garantir que o treinador tem opções mas deixarmos de comprar a pedido para satisfazer as vontades de cada um que passa. Assim se enfiam barretes e se gastam rios de dinheiro sem contrapartidas, estou farto de Makukulas, Balboas, Urretas, Edcarlos, Aimar e outros tantos, onde enterrámos dinheiro que nunca mais iremos ver.

Como positivo, temos um Director Desportivo benfiquista, que "sente" as derrotas mas que foi no carrocel das transferências e que está preso a uma lealdade com o seu treinador, leadade essa que o presidente nunca teve com Fernando Santos ou Trappatoni. Atá quando vai durante esta agonia.

Comments

Pratas said…
Eu já deixei de ver os jogos... não me dá prazer...
Dias said…
Buenas parceiro e muitissimo bem vindo sejas a 2009

Eu também faço parte daqueles que se desmaravilharam com a redonda, e felizmente converti-me à oval, onde os homens são homens! No Rugby não sou do Benfica, vejo qualquer jogo pelo jogo, sem clube.

No inicio da epoca o Sor Quique afirmou que desta epoca não deveriamos esperar muito e eu, com muito custo, tenho-me aguentado às bocas de quem ao longo da vida clubistica tenho picado, mas face às recentes declarações de o SLB funcionar como "rampa" para uma outra equipa de classe realmente europeia, ja não sei se o Mister me merece tanta paciencia...

Factual é que passei um ano a pedir a demissão do Trapalhoni e ele deu-me o titulo... por isso pode ser que este pensar mal do Quéquéisso me/nos traga alegrias.

Interessante passares pelo Rui Costa, se aguentar uns anos disto vai ser um dos maiores benfiquistas de sempre, a todos os niveis, claro.

Abraço lampião

Popular posts from this blog

O virar da página

Escolhas

Pequeno Gafanhoto