Tuesday, March 2, 2010

Comodismo

Os últimos tempos têm sido sempre a correr, afinal uma vida a três é bem diferente de uma a dois, e a disposição para a blogosfera tem ficado para trás. Aos amigos que não visito há algum tempo as minhas desculpas, não é por isso que não deixo de pensar neles.

A verdade é que a vontade não tem sido muito, acho que o sentimento de ter trazer uma criança para este mundo tem muita alegria mas um mixto de revolta, quando penso no que poderá ser este país daqui a 20 ou 30 anos. Afinal, nada mudou, as asneiras continuam a ser feitas, os galos lutam por um lugar no poleiro e entre os que se resignam e os que se acomodam, cada vez há menos gente a fazer a diferença em Portugal.

Hoje li uma noticía interessante sobre Arouca e o projecto da Câmara para as quintas sociais.

http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Vida/Interior.aspx?content_id=1508599

A ideia de permitir a quem está desempregado ou a receber o rendimento minimo pudesse trabalhar, aumentar a auto-estima e desenvolver uma vida indenpendente era muito boa mas os candidatos foram zero. Ou seja, o que todos querem é dinheiro sem trabalho, quer esteja num gabinete do Edificio Picoas, numa sala em S. Bento ou em Arouca. E assim se fomenta uma cultura de parasitismo à conta do Estado, que suga os cada vez menos recursos disponíveis. Quando aparecer a factura da paz social em que vivemos e os senhores de fora começarem a mandar, ainda vou ver uma intifada em Portugal.

1 comment:

figueirinha said...

Cucu!
Ainda não tenho um pequeno e o tempo para o blog também tem estado mais limitado. Mas quando digo estas coisas penso no que o TCardoso me dizia "Conheces o Nick?" (refiro-me a isto http://www.youtube.com/watch?v=JUas9uNPDuM)
As prioridades mudam. Make sense ;)
Olha, acerca do teu post. Não me admiro por faltarem candidatos para os dinheiros que incentivam projectos e criação do próprio negócio. Nah! Já o sabia.
Acrescento apenas uma coisa que ouvi recentemente, que não tento esquecer e que ajuda a perceber a nossa cultura.
Desde pequenos somos incentivados a ter trabalho, percorrer um caminho dito "formatado" como normal: escola > garante trabalho > trabalho > garante vida equilibrada > sair às 18h e tempo para termos familia.
Acontece que, poucos somos os "eus" tugas que são incentivados a ser empreendedores. Será que desde cedo alguém nos diz como se ganha dinheiro? How to make money?
Ou simplesmente, alguém nos incentiva (e por alguém entenda-se todos: pais, profs - sociedade) a arriscar?
Talvez a questão seja de raiz e o risco em Portugal seja pouco valorizado. Não esquecer que, a maioria acredita que os ricos tiveram sorte. Confunde-se sorte com mérito.