Sunday, March 15, 2009

Considerações rubras e laranjas

Como se costuma dizer, há coisas na vida que não mudam. Um homem pode trocar de carro, de mulher, até pode trocar de partido, mas nunca troca de clube de futebol. Por isto estes últimos tempos têm andado "cinzentos" em relação à performance quer do Benfica, quer do PSD.

Começando pelo Benfica, a derrota de ontem foi o corolário de um conjunto de exibições paupérrimas, por vezes disfarçadas com triunfos arrancados a ferros e com a equipa complemente "de calças na mão". Este Benfica entristece-me, enervo-me a ver os jogos e não acredito que as coisas mudem. Aliás, desde a pré-época, onde assisti a mais uma onda de despesismo do clube, na pessoa do seu novo Director Desportivo, que achei que a época ia ser má. Afinal, comprámos mais uma carrada de jogadores, emprestamos outros ao desbarato e no final ficámos com um lote com as seguintes caracteristicas: poucos jogadores portugueses, muito poucos com mais de 3 épocas no clube e alguns que vieram para Portugal relançar uma carreira, ofuscada como os índices de Wall Street.

Este Benfica é pobre de ideias, vazio de ambição e pior, é o reflexo de um treinador que vive para criticar os seus jogadores e nunca dar a cara por um erro, por um mau resultado. No entanto, como até é bem parecido e fala bem com a imprensa, tem gozado de um estado de graça de outros no lugar dele nunca tiveram, como o caso de Fernando Santos. E este estado de graça levou-me logo para a minha rcor política, por quem regularmente tenho votado.

Na comunidade laranja há um senhor muito parecido com este espanhol. Um senhor bem parecido, bem falante, bem relacionado mas que, analisando o seu legado, fica-se pelo património genético e uma mão-cheia de negociatas estranhas onde alguns privados surgiram como previligiados. Ah, e ainda um túnel que me tem dado muito jeito.

Quando olho para os dois, lembro-me daquelas maças classe I, muito vermelhas. Aquela peça de fruta bem bonita, que até dá vontade de trincar, mas que depois por dentro só tem bicho. É o que dá levarmo-nos pela imagem...

No comments: